31/10/2004

Acabou a Oktober

Fui pra Oktober. Só pra ter certeza do que realmente eu achava dessa festa. Isso depois de 13 anos sem frequentar a mesma pude constatar que ela continua muito legal. Nos pavilhjões é muito quente, quase não dá pra andar: isso é muito legal
As pessoas jogam no chão toda sorte de lixo, principalmente copinhos de chop vazio: isso é muito legal.
Havia umas brigas em que mulheres e rapazes se estapeavam, visivelmente alcoolizados:isso é muito legal.
Os seguranças que perfilavam entre os frequentadores possuiam um porte, digamos assim terceiro mundo, meio Etiópia, me entendem? Isso é muito legal.
No tal do Pavilhão C não tocava música alemã: só Axé (covers) e isso é muito legal.
O CHopp (gostozíssimo da Kaizer), só custava R$3,00, e me deu uma puta dor de cabeça (só tomei um): isso é muito legal.
Viram! Não sou tão mal humorado ou negativo como sempre dizem.
Isso é muito legal.
Aham...é isso que você está pensando!!!!

Ivo, pensante

Pensando....

Finalmente consegui que encarassem de frente suas próprias percepções acerca do que fazem. As outras coisas se sobrepõem porque não possuem força para criar algo maior. Lamento.
Dizer que tudo está uma zona com um dia de observação. .. Que leviandade!!!! pra não escrever outra coisa. Definitivamente o ser humano não foi feito pra conviver. Deveriam todos ficar isolados, todos no seu devido metro quadrado...já que não pensam nada, humanamente falando.
Por que sempre tem que ser assim?
Não se pode ser idealista e querer que as pessoas sejam felizes: apenas isso. Mas não. tem sempre aqueles que "cagam " no terreno alheio. Se não sabe ...sai fora...pula em outra privada...

Mas é isso...vamos continuar.....
Apesar de Tudo.

30/10/2004

Aconteceu!!!! Uma hora tinha que acontecer. Também me faço a pergunta: Será que eu estou errado e eles certos?

Ivo, pensante

22/10/2004

Quando eu era criança tinha uma fé infinita nos adultos. Até sentia as oscilações, as turbulências, mas nunca acreditei realmente que pudesse correr algum risco mais sério estando com eles.
Talvez, e até com certeza, tenha sido muito afortunada e protegida por minha inocência, mas minha infância correu tranqüila e pude chegar até aqui.
Que vergonha da escola russa de Beslan. Vergonha das crianças.
Eu, que já sou adulta há algum tempo, assisti horrorizada ao espetáculo de incompetência da dita maioridade. Crianças grandes com armas de verdade matando crianças pequenas.
Acho que não se faz necessário o detalhamento da tragédia, uma vez que nada pode ser mais eloqüente que os fatos e seus tenebrosos números. Mais de 150 mortos e 650 feridos. Em sua maioria, crianças.
Então, imaginemos: o que se passou na cabeça daquelas crianças quando perceberam que o horror dos pesadelos pode ser real? As crianças que sobreviveram, como passarão a encarar o mundo? Que vergonha, meu Deus, que vergonha.
Nas imagens e fotos vi centenas de mulheres, enlouquecidas de dor. Achei que era provocação. Tenho certeza de que a dor é universal, e nunca duvidaria de uma só lágrima vertida por um homem - sei que são muitas e sinceras - mas a coisa me pareceu emblemática demais para que eu não tomasse como uma provocação ao adormecido poder feminino.
Foi uma tragédia para a parte mãe da Terra. Deu-me a impressão de que a qualquer momento deveria chegar uma espécie de super heroína que nem existe (como se os super-heróis existissem) com um avental sujo de ovo e o chinelo na mão, fazendo todo mundo calar a boca, defendendo os menorzinhos e, sob um sonoro “ai! ai! ai!”, obrigando as facções envolvidas a darem as mãos e negociarem polidamente.
Uma super Mãe!
O Ziraldo já inventou uma, e ela bem que podia dar as caras de novo por aí.
Mas havia mulheres entre os seqüestradores. Dizem que eram mães também, e que após terem perdido seus próprios filhos e maridos durante a invasão da Chechênia, orientam-se agora apenas pelo desejo mais cego de vingança. Não há de ser fácil perdoar a morte de um filho.

Enquanto isso, ainda no hemisfério norte do globo, há pessoas preocupadas em salvaguardar a inocência de suas crianças a qualquer custo. Na Suécia, com a aprovação de 80% da população, foi imposta a proibição da produção e veiculação de qualquer tipo de publicidade dirigido ao público de menores de doze anos. Não haverá mais propagandas na tv, nem nas revistas ou nos outdoors anunciando produtos para crianças. Também estão proibidas as participações das crianças nos comerciais para adultos, e a veiculação de comerciais adultos próximos aos horários ditos infantis das programações de tv.
A alegação é a de que a criança ainda não estaria apta a discernir o conteúdo de um programa comum do conteúdo de um comercial. Ainda não estaria preparada para se proteger do ataque deliberado aos seus sentidos, para fazê-los consumir.
Quanta delicadeza. Imaginem se essa semente de lucidez se espalha pelo mundo, e chega até aqui... Quantas fortunas ruiriam. Enfim, quem sabe um dia.
Estas têm sido minhas reflexões para escolher uma nova escola para meu filho. Seu período de pré-escola acabou, e, entre frases do tipo, “agora ele vai ter que enfrentar a realidade” vou passeando entre propostas, críticas e mensalidades. Todas altíssimas por sinal, ao contrario da Suécia, onde provavelmente todas as escolas são públicas.
Em uma escola, a proposta é construtivista demais, cada aluno com seu ritmo... A outra é mais enérgica, mais militar, e dizem que tem até padre. A outra não, é bem mais normal... Normal pra quem? Seja como for, está cercada de transito por todos os lados o que encerra a questão.

Que tipo de crianças estaremos criando aqui no nosso doce país? São suecas que percorrem corredores cheios de crianças que nunca saem da linha de tiro. São pequenos seres que, antes de completar sete anos sabem mais jingles que canções de ninar.
São crianças criadas por nós.
Alguém aí tem certeza do que se deve fazer com elas?
Artigo escrito por Mariza Orth, na AOL


Ivo, pensante

Álvaro de Campos - Lisbon Revisited(l923)

NÃO: Não quero nada. Já disse que não quero nada.
Não me venham com conclusões! A única conclusão é morrer.
Não me tragam estéticas! Não me falem em moral!
Tirem-me daqui a metafísica! Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!) — Das ciências, das artes, da civilização moderna!
Que mal fiz eu aos deuses todos?
Se têm a verdade, guardem-na!
Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica. Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo. Com todo o direito a sê-lo, ouviram?
Não me macem, por amor de Deus!
Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável? Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa? Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade. Assim, como sou, tenham paciência! Vão para o diabo sem mim, Ou deixem-me ir sozinho para o diabo! Para que havemos de ir juntos?
Não me peguem no braço! Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho. Já disse que sou sozinho! Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia!
Ó céu azul — o mesmo da minha infância — Eterna verdade vazia e perfeita! Ó macio Tejo ancestral e mudo, Pequena verdade onde o céu se reflete! Ó mágoa revisitada, Lisboa de outrora de hoje! Nada me dais, nada me tirais, nada sois que eu me sinta.
Deixem-me em paz! Não tardo, que eu nunca tardo... E enquanto tarda o Abismo e o Silêncio quero estar sozinho!


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Chove. Que fiz eu da vida ?

Chove. Que fiz eu da vida? Fiz o que ela fez de mim... De pensada, mal vivida... Triste de quem é assim!
Numa angústia sem remédio Tenho febre na alma, e, ao ser, Tenho saudade, entre o tédio, Só do que nunca quis ter...
Quem eu pudera ter sido, Que é dele? Entre ódios pequenos De mim, estou de mim partido. Se ao menos chovesse menos!
F.Pessoa, 23-10-1931

21/10/2004

Chico, Edna, Fernanda e Emanuela. Fernanda é minha afilhada...olha que graciiiiiinha!!! (a Fernanda é a maior)

Ivo, pensante
Foi muito bom comemorar meu aniversário entre aqueles que gosto, e acima de tudo com aqueles que amo. É!!! São 39 anos...e o que foi feito..meu muita coisa. Acho que está na hora de escrever um livro...vou pensar nessa idéia

Ivo, pensante

20/10/2004

olha a galera legal do Hopi Hari....valeu pessoal do UNI!!!!!

Ivo, pensante
Olha o gato....o tesão...o gostoso...enfim..tudo o que você sonhou encontrar na vida: EU!!!!!

Ivo, pensante
Eu conheci o Hopi Hari....um parquinho no interior de São Paulo..aquelas coisa...nada demais

Ivo, pensante
Quem tem medo de cobra??????....vejam minha cara de coragem..animal!!!

Ivo, pensante

09/10/2004

No meu aniversário quero estar do lado daqueles que são o que tenho de mais importante atualmente....

Ivo, pensante
Essa foi a lista de presentes que divulguei pra quem foi convidado pro aniversário...humilde, vocês não acham?

Ivo, pensante
Tá chegando meu aniversário. Só espero que a festa seja boa. Muita Feijoada pra todos...pena que não posso convidar mais gente...queria muito...mas a grana não dá...por isso vai só família mesmo. Vai ter muita comida, não muita bebida...e sobremesas..O que significa fazer aniversário? deve ter sido invenção de algum espertinho que tava afim de faturar as custas dos outros, daí inventou que tem que se comemorar esse dia....

Ivo, pensante

03/10/2004

De olho na carne....momento de tentação do Áquila..mas não pode!!!!!

Ivo, pensante