30/05/2007

o porquê do porquê????

Porquê quando estamos num congestionamento normal em SP as outras filas semprem andam mais rápido que a sua????

Porquê em SP quando saimos cedo por causa do trânsito, para não nos atrasarmos ao compromisso marcado, não há problema de trânsito? e quando estamos atrasados tudo pára????

E quando estamos parados no trânsito, para distrair sintonizamos uma rádio qualquer, e quando toca uma única música que você começa a gostar a rádio começa com aquele chiasso...(ou seria xiasso?)..???? Por quê?....hein?...hein????

20/05/2007

Reflexões de um apaixonado!! ( e não reparem: todo apaixonado é bobo e brega)

E de repente descobri que coisas muito boas acontecem.
Por algum motivo, que não sabemos qual, somos merecedores.
Descobri que receber um carinho, um elogio, um afago que seja, dispensa o uso de qualquer palavra.
Descobri que uma música ouvida pode manifestar sentimentos, intenções e desejos.
Descobri que não é só você que tem dúvidas, outros também as têm, e devem ser respeitadas.
Percebi que cada ser tem o seu tempo.
E o tempo é soberano: resolve, revela, apaga ou faz acontecer.
E de repente descobri a felicidade.

Felicidade pode ser estar numa mesa de bar conversando e no meio das palavras ricas ou fúteis trocar olhares. Olhares de carinho, “mal intencionados” e de admiração.

Felicidade pode ser admirar alguém, mesmo que se perceba suas fraquezas. Mas acima delas está sua inteligência.

Felicidade é admirar alguém, e perceber que há uma recíproca, muito verdadeira.

Felicidade é se sentir cuidado e poder cuidar.

Felicidade é poder compartilhar uma "amizade" sem promessas e sem cobranças: tudo é gratuito e expontâneo.

(Felicidade é parar para esrever esse texto e perceber que há lágrimas de alegria descendo pelo rosto.)


E o que dizer daquele momento em que você achou que iria desmoronar e o outro não deixou? Ou daquele momento em que se encontrava cheio de dúvidas e o outro te surpreendeu mostrando as respostas?

Como encontrar palavras para explicar um sentimento que te faz sentir cheio de vida e com vontade de realizar as coisas? Um sentimento que te impulsiona para fazer tudo bem feito, inclusive o trabalho, mas que você torce para que tempo voe para que chegue o final do dia e você possa olhar para aquela pessoa ou pelo menos ouvir sua voz.

Como explicar um sentimento que faz você ficar preocupado quando está longe querendo saber se outro está bem, com que tem se alimentado, se precisa de algo? Ou que faz você estar numa estrada em viagem e telefonar e dizer: “ só queria dar um alô!” (ou mesmo quando você inventa um assunto qualquer para justificar a ligação...morrendo de medo de que a outra pessoa te ache um chato grudento....rs)

E como explicar um sentimento que cresce a cada dia, e quanto mais a pessoa se revela, maior ele se torna?

E como explicar o medo de tanta felicidade? Felicidade que as vezes assusta, faz tremer, inquieta, mas que acima de tudo nos faz sentir VIVOS.

Acho que tudo isso não se explica, não tem resposta. Cabe-nos a opção de querer viver ou não algo com o qual fomos agraciados.
Não sei quanto tempo mais, nem quero saber (mas quero e cuidarei para que dure o máximo possível). Isso não se mede, não se calcula: VIVE-SE. E viver para mim é entregar-se de corpo e alma: esta é minha opção. Não vivo nada pela metade: sou inteiro.

( e pensar que já vai fazer quase um ano!!!!!)

11/05/2007

O junco e o Vento

Lembro-me bem de quando criança de uma histório que falava de um forte vento em que o junco se dobrava para não ser derrubado. Enquanto isso a Figueira muito resistente tentava não se dobrar ao vento. De tanto resistir a figueira acabou arrancada do chão. Enquanto isso o junto que se dobrou, voltou ao normal depois que o vento passou.
Esse é o momento. Hora de deixar o vento passar.....não custa dobrar um pouco. O vento vai passar.....eu sei. Pelo menos eu espero.

Também desejo o elemento R se descubra e se resolva. Assim ele procurar fuder menos com a vida dos outros.

Certa vez ouvi: quer conhecer alguém? Dê poder a ele. Então: conheci bem alguém!!!!! Acho que vou recomendar a leitura da revista Você SA. É o mínimo pra ver se a pessoa se informa um pouquinho e aprende algo mais coerente com sua função. Até essa revista idiota vai ensinar que há uma deiferença entre chefia e liderança. Vai apontar também que tratar bem um funcionário é o primeiro passo para montar uma boa equipé e ter um bom trabalho.
Aprende cabeção (elemento R)!!!!!!

05/05/2007

De volta a Curitiba

Depois de exatamente dois meses estarei voltando a Curitiba. É uma cidade que gosto muito, porém não está na minha preferência para residência. Já fui encantado pela cidade, mas hj não mais. Há lugares que deixam marcas. Não por culpa deles, mas pela história que se processa lá. E Curitiba teve a infelicidade de presenciar o que não foi muito bom. Aliás presenciou o que considero até hoje o pior de tudo que vivi. Mas passou, felizmente.
Sair de lá foi como que trocar de roupa, tomar um banho para tirar as impurezas e começar uma nova vida. Essa é a sensação.
Voltar pra lá me dá uma nostalgia estranha.....é um ter que ir sem querer ir....
Mas tenho que ir....depois conto como foi.

01/05/2007

Final de Tarde


Definitivamente morando em São Paulo há dois meses ainda não consegui ter aquele sentimento clichê do qual tantos falam: sentir-me sozinho na multidão. São Paulo é acolhedora, educada, aberta, moderna.....Não possui a frieza tantas vezes exaltada em algumas odes musicais.

Aqui tem gente!

Pessoas que cumprimentam, pessoas que dão licença pra passagem, pessoas que também estão a procura assim como eu e como muitos. A questão é deixar os encontros acontecerem.

Sim, SP também tem violência, bandido, ladrão.....na verdade aqui existe o que existe em qualquer cidade brasileira, só que tudo elevado a centésima potência.

Mas São Paulo é também um show: no tráfego, nos prédios, nas ruas.....

São Paulo é lenta, vagarosa...tudo aqui demora: demora-se pra chegar em algum lugar, demoram para te atender em qualquer lugar. A única coisa que não demora é a passagem do tempo: aqui ele voa. Tem que se aproveitar bem...muito bem mesmo.

Estou curioso para ver em quanto tempo mudo de opinião. Afinal nada é definitivo.