05/09/2011

Pausa para Respirar II

Pode parecer paradoxal querer estar em casa, na calma e sozinho, numa época em que todo mundo parece querer o contrário. Porém, a vivência da subjetividade é extremamente necessária para a sobrevivência com qualidade. É como se o trabalho vampirizasse suas energias e é preciso voltar para "a toca" para se abastecer. Doar-se é bom, mas preservar-se é necessário. Não dá pra compartilhar sem se abastecer, sem se auto-conhecer. Só consigo me dividir se me mantiver íntegro. E só me completo com "pedaços" dos outros, assim como outros se completam com partes minhas. São os paradoxos da vida.

Pausa pra Respirar

Poder estar na minha casa por mais  de um dia, em espaços que variam de duas a três semanas tem se tornado algo tão raro que inversamente tem elevado o prazer de estar. A sensação é quase a mesma de ter um refúgio onde reponho meu ânimo e energia.

Cheers....I'm home!!
 Devido ao tipo de trabalho e à relação de emprego, tenho que estar fora a maior parte do tempo. Dirigindo um carro, dormindo em hotel, esperando em Aeroporto e no meio de tudo isso trabalhando dentro de escolas entre Rio de Janeiro e Espírito Santo, isso é a minha rotina. Há muitos que revelam: "gostaria de um emprego assim." Pois bem, tudo parece bonito mesmo. Há pessoas que reconhecem nesse trabalho um certo glamour,  porém, como todo trabalho tem seu lado pesado. Mas não é disso que quero falar no post
Minha casa virou meu santuário. Aquele lugar que acalma, fortalece e anima. Estar aqui é ter a sensação de controle. Poder rir das palhaçadas dos meus cachorros, ajeitar algums coisas no seu devido lugar, ir ao fogão e preparar alguma coisa pra comer do jeito que eu gosto ( frequentar restaurantes de Kg é um verdadeiro martírio), ler com calma um livro que interessa, estudar, falar bobagens com amigos queridos, dar uma caminhada na areia da praia, tudo isso tem ganho uma dimensão excepcional. É o prazer das pequenas coisas.
Talvez para aqueles que sempre estejam em casa, a sensação seja contrária. Isso acaba se relativizando dependendo da rotina de cada um.
Fato é que poderei estar curtindo isso por poucos dias. Não, não estou de folga. É que o trabalho desses dias será próximo de casa o que me permite voltar sempre pra cá. Para daqui a pouco ir novamente para So Far Far Away novamente.
Aproveitemos então.