20/11/2009

AÇÕES DE DESESPERO ASSOLAM A TV BRASILEIRA

Inovação parece não ser mesmo um vocábulo dos produtores e programadores da tv aberta brasileira. Numa tentativa desesperada de alcançar audiência e vender as tvs teem-se valido de um monte de coisa que reforça a caretice, o preconceito, a ignorância, a hipocrisia e falta de imaginação.


- Os noticiários resumem-se a uma sequência de tragédias pessoais e coletivas. Anunciam fatos com um tom terrorista e outras tantas como se o mundo estivesse entrando em colapso (até eu já estou acreditando nisso);


- Reality shows que mais deveriam se chamar "casa de pessoas falidas tentando dar um último suspiro na fama".....e fazem desse reality o máximo. Tem essa audiência toda mesmo? se for estou criticando o alvo errado.


- programa de revista eletrônica falando de futulidades, que mais inúteis impossível;


- a Globo resolveu gravar cds e dvds, divulgando uma fileira de cantores evangélicos e religiosso de um modo geral que mais parece uma geléia azeda. Sim, porque esse povo que se intitula gospel não cantam, eles gritam frases que ainda não entendi se foram compostas no banheiro naquela hora em que se está evacuando, ou se estão com algum problema sexual (observem as letras.....tipo assim: senhoooooooor, quero você em mim......ou essa:  liberta-me, queeeeero ser só teu.....enfim, o que estão querendo dizer, ou de onde veio realmente a inspiração?.);


- até o tão alardeado CQC não inova tanto. Aguentar a câmera nervosa e os gritos do Marcelo Tas é um saco.




Televisão deveria ser sinônimo de entretenimento, ou até de informação. O que ocorre é uma pressão para que o público acredite em determinadas ideologias políticas. Ou seja, a Tv está imbecilizando o povo brasileiro. Apesar de que isso não é novo. Sempre foi assim. O que resta fazer: não assistir.
Resta a internet para buscar informação, ali eu clico naquilo que quero ver e ainda posso comentar quando estou afim.

16/11/2009

Vigas e desmoronamentos

Na mão de quem nós estamos?
Inesperadamente somos surpreendidos por notícias de desabamentos, desmoronamentos, tragédias provocadas por falhas humanas. Até o apagão do último dia 10 de novembroainda não está esclarecido.
Quer dizer que a qualquer hora posso estar trafegando em algum lugar e cair do nada.
O que está por trás disso tudo é a pouca importância que se dá ao que pode acontecer com as pessoas comuns. Ética é o que falta. Preocupação com o bem estar comum sempre em último lugar.
Caramba, como isso incomoda.

O caso da Aluna UNIBAN

O caso da aluna da UNIBAn me parece mais uma demosntração da hipocrisia que assola esse país. O público que a condenou chamando-a de Puta por causa do vestido é o mesmo que consome as poses nuas da celebridades nas revistas masculinas. Parece que é aquela velha história: artista pode! gente comum não pode. Talvez esteja no inconsciente das pessoas ainda que artistas são tods putas ou viados.
Outro coisa que o fato denuncia é a pobreza da educação desse país. Enquanto a maioria estudo para colecionar informações para "se dar bem", as escolas e os pais e mães de família esquecem de formar caráter nas pessoas.
Mas o que esperar de um povo assim. Provavelmente serão os profissionais que construirão os viadutos de Rodoanel, os buracos de metrô, os edfícios que desmoronam ....e por aí vai. A nossa educação e comportamento está longe de uma ética verdadeira. A burrice ainda impera nos trópicos.